Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Kuruka

Kuruka

31
Out19

Impossível não sentir amor!

Kuruka

 Sou grata à vida, sou grata às sementes que fui deixando no caminho, e quando assim é alguma coisa te é devolvida.

2019-10-31 (1).png

 

Não estou feliz com o momento, e nunca esperei que houvesse um momento da minha vida, onde fosse necessário para mim, sentir ainda mais amor, porque ao longo de toda a minha vida eu fui sempre sentido. Fui sentido que tinha um íman, que as pessoas se sentiam bem na minha companhia, que as deixava felizes, quando me deixavam palhaçar ou gargalhar, mesmo em momentos menos bons. De quem veio a maior parte ficou e quem foi é porque a energia não era a mesma e não era para ficar. Mas sempre pude ser eu, zangar-me, rir, abraçar, amparar e ser sempre, sempre amparada, dizer as coisas sem filtros e mesmo assim haver aceitação.

 A minha frase favorita nesta fase é Aceita que dói menos. Ainda em processo de aceitação da doença, eu aceito o vosso carinho, amor, mas principalmente aceito as vossas orações, eu tenho por experiência que quando desejamos o melhor para alguém, que tudo torna a nós, que quando pedimos pelo outro, para que ele consiga o que deseja, que as portas do céu se abrem para acolher os pedidos e que coisas maravilhosas acontecem. E neste momento eu abro os meus braços aos vossos pedidos, ao pedido que tudo seja leve, rápido e que nunca eu perca este amor à vida, esta felicidade e alegria dentro do meu coração. 

 Este é o meu muito obrigada pela onda de solidariedade que se criou à minha volta. 

É pelo menos a minha certeza que o meu legado é de bom coração e que estou a fazer algo de bom. E isso deixa-me muito muito feliz!

Obrigada 

Kuruka

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D